Como comprar um sapato que você nunca vai usar?

Vida

No tutorial de hoje você vai aprender, riqueza!

Faz algum tempo que limitei minha relação com o salto alto a eventos extremamente formais de grande porte, como casamentos, formaturas, batizados & bodas de ouro, simplesmente porque meus pés não suportam todas as minhas curvas em alguns centímetros de apoio no chão – e não vou discutir essa pauta com eles.

Ainda assim, sou aquela pessoa que: a) com 40min de festa procura uma cadeira pra sentar e passa o resto da noite só levantando os braços pra fingir que está curtindo “valeu a pena, ê ê” – sério, 2019 e não sei porquê essa música ainda toca nas festas – ou b) com 40min de festa já tira o sapato e pisa no primeiro copo de vidro estourado no chão, ocasionando aí um pequeno stress pra familia & amigos da formanda.

Consegui criar uma relação confortável com os meus sapatos. Literalmente falando, no caso.

Tive sorte. Sou uma pessoa de pouquíssimos amigos e eles não são tão jovens para se formar na faculdade, nem tão velhos para fazer bodas. A esperança daquele único par de sapatos azuis de salto 10cm no meu guarda-roupa era que rolasse algum casamentinho ou nascimento para finalmente sair do armário mas, olha só, meus amigos também não são do tipo que se casam ou têm filhos e por um momento concluí que nunca mais precisaria usar salto na vida.

Pausa indignada: não entendo como é possível alguém morar em São Paulo e andar de salto!

As ruas de São Paulo são esburacadas (estando ou não em obras), fica tudo escorregadio quando chove – e chove quase todo dia – e existe uma multidão de pessoas correndo pra lá e pra cá nas grandes avenidas, muitas vezes você nem precisa ser maratonista pra chegar aonde quer, a massa de pessoas te leva. Quem nunca chegou em um lugar e pensou: ué, como cheguei aqui? Poisé. Fora o piso em lugares fechados, muitas vezes com frestas e furinhos, você pode ficar facilmente enganchada pra sempre: “Gente, fiquei presa aqui” você diz enquanto as pessoas que estavam com você se distanciam cada vez mais olhando para as telas de seus celulares. Se você mora em São Paulo e usa salto na sua rotina, eu nem tenho o que falar amiga, só te dar os parabéns mesmo sua guerreirona.

Perigo!!!!

Onde mora o perigo: misteriosamente o salário cai bem no dia que a gente passa na frente da Schutz e vê um salto de animal print que super vai combinar com todas as nossas roupas e essa nova pessoa que estamos planejando ser. Aff! Você tenta enganar a si mesma: “esse salto é mais baixo que os outros”, “salto mais grossinho dói menos”, “eu amadureci de um ano pra cá, estou numa outra fase” e (insira aqui a sua desculpa deslavada favorita para comprar um salto que você amou e sabe que nunca vai usar). E aí a gente compra, esquecendo de todos os probleminhas citados acima.

Bom, esse não é um texto que visa ajudar você a nunca mais cair nas garras de um sapato de onça na vitrine da Schutz. É apenas um texto explicativo para que algumas pessoas do meu convívio entendam o porquê eu continuo comprando sapatos de salto sem a menor intenção de usá-los.

-Me segue no insta! @vamospravenus

Juli Batah <3

21 Dicas para se dar bem no Tinder (Pra homens)

Amor

its-a-match

Ah, o Tinder! Se você vive no planeta Terra deve saber do que se trata esse nome, e se não souber dá um Google aí porque eu não estou disposta. O Tinder é uma ferramenta que… a gente usa, vai? Todo mundo já entrou pra zoar e ver como funciona e acabou “esquecendo” o aplicativo no celular por dois anos e saindo nesse meio tempo com pessoas que “nossa, não sei da onde ela surgiu”. #estamosdeolho

E ele funciona sim, pra conhecer gente nova. Talvez a gente não esteja falando do amor da sua vida, mas gente nova. E eu já conheci e saí com pessoas bem interessantes pelo aplicativo. Tirando um cara que ficou chorando porque ainda gostava da ex, o outro que admitiu ser psicopata no meio do encontro e um gringo que ficou a noite reclamando do Brasil, conheci pessoas ótimas pelo Tinder.

Mas depois de observar e trocar idéia com amigas, percebi que alguns rapazinhos estão usando o app de uma maneira que não os favorece muito. Vamos falar sobre isso. Separei até em 3 etapas, olha como sou didática.

[Vem me seguir no Insta!]

A – de APARÊNCIA

01-tinder

O Tinder tá com uma versão nova em que você pode selecionar com todo o carinho do mundo as fotos que vão aparecer pra outras pessoas. Estamos falando de alguns segundos que você tem pra prender a atenção de uma garota antes de um “x”, então vamo dar uma revisada?

1. Evite fotos beijando o pescoço da sua (ex)namorada. Pode ser o de qualquer outra mulher ou transexual: nunca será móinto agradável aos olhos de quem vê. Beijando a boca também acontece muito, mas não vamos nem entrar nesse nível aqui. A primeira coisa que a gente espera é que o cara seja solteiro.

2. Saber valorizar seus pontos fortes. Se não tem os dentes da frente, vamo botar uma foto de longe, corpo inteiro? Se você parece um dedão do pé, vamo dar pelo menos um sorriso?

3. Não apareça em todas as fotos rodeado de amigos, no meio de turmas de 10 pessoas. Isso dá um baaaaita mindfuck, ninguém sabe quem é você.

4. Pelo menos 01 (UMA) foto do seu rosto. Sei que dentro de você há muito mais do que a sua aparência e seu cachorro também é muito fo-fi-nho, mas o Tinder é um aplicativo que tem como base o visual – não sou eu que tô dizendo. Seria o mesmo que usar o Twitter e não publicar conteúdo. O mesmo vale pra quem só posta fotos de paisagens.

5. Fotos estranhas. O cara aparece todo engravatado numa reunião com o chefe distraído do lado, é tipo “Meu, que que esse cara tá fazendo?!” – E isso ainda não é nada, aparece coisa muito mais creepy, tipo…

6. Foto do peru. Nem o do Natal, nem o seu. Puta susto né? Achei que nem precisaria falar sobre isso. Seu cara de pau.

7. Óculos escuro em todas as fotos. O que passa pela nossa cabeça é: conjuntivite ou olhinhos de Fernando Caruso.

8. Foto sem camisa no espelho da academia. A cada 10 homens no Tinder, 11 tem foto sem camisa no espelho. A cota máxima desse perfil no aplicativo já foi muito bem preenchida, agradecemos sua presença mas volte outro dia.

.

B – de BIO

02t

O Tinder não oferece só a escolha por fotos, vai. Ele é tão bonzinho que ainda dá algumas linhas pra você formular uma defesa. E tem gente que não tá sabendo aproveitar.

9. Fuja de clichês. “Sou um cara legal”, “Procuro alguém que não seja só um rostinho bonito”, “Gosto de praia, cinema, barzinho”, “Comer, beber, dormir”, “Me adicione e me conhecerá melhor”. DUUHH!

10. Piadinhas. Se não forem tiradas de algum livro do Ari Toledo e tiverem um humor refinado, podem ser muito bem vindas. Mostram que você é alegre e pode ganhar pontos.

11. Descrições pessimistas. Vejo muitas tipo: “Se não gosta de homens baixos, já aperte o X por favor.” Acredite, tem muito mais menina que não gosta de cara azedo.

12. Mentir a idade. Se você tem 52 anos e coloca na bio que tem 26, ou se tem 15 e coloca na bio que tem 32, tá querendo enganar quem? Não somos tão bo-bi-nhas assim, heuheuehue

13. Nicknames podem ser convenientes. Se seu nome é Adijaylson, que tal um apelido?

14. Se a unica coisa que você faz da vida é fumar maconha na sua casa, já deixa explicadinho na bio? Todos ganharemos tempo (e os 7 conto de ida e volta – que tá cáaaaro né) com isso.

.

C – de CONVERSA

03t

Deu match! E agora? O Tinder é uma Terra de Ninguém. Você precisa abordar a garota conquistando a atenção dela no meio de 20 outras janelas de conversas com outros caras. Se vacilar, a conversa nunca passará de 3 ou 4 mensagens e todo seu esforço até aqui será em vão.

15. Atitude. Fale um “oi”, e se a menina falou primeiro, pelo menos responda. Ou não use o aplicativo, né? Vai conversar com suas plantas.

16. Falar com 40 meninas ao mesmo tempo. Sei que a vontade de viver tá grande, mas assim você acaba não conseguindo dar atenção de verdade pra ninguém.

17. Mandar mensagem igual pra várias garotas. Eu, minha irmã e minha amiga já nos divertimos muito com caras que mandavam mensagens idênticas pra gente – e eram mensagens bem específicas. Você nunca parou pra pensar, mas algumas das meninas que conversa podem ser amigas, não arrisque com o mesmo discurso pra todas.

18. Perguntar o que a garota espera dele, do Tinder, da vida, se ela procura algo sério ou se só quer curtir. Tudo depende de N fatores, por exemplo: da pessoa com quem estamos nos relacionando. Essa pergunta, na primeira conversa fica difííícil responder… Sem pressão pufavô!

19. Se destaque. Todos os caras, vão lançar pra mesma menina um “Oi linda, tudo bem? O que faz da vida?” – Seja diferente. Mande uma piada de primeira, ou algum comentário que possa deixar ela intrigada.

20. Procure entrosamento. As relações do Tinder são muito superficiais e é muito fácil ficar numa conversinha de elevador com uma lista de pessoas sem conseguir uma conversa de verdade com ninguém. Opte por ter menos matchs, mas com pessoas que possam ter a ver com você. Procure aprofundar uma conversa, e levá-la do Tinder para outros lugares. A maioria das mulheres fica mais a vontade pra sair com caras que mantém uma conversa consistente.

21. O bom e velho: seja você mesmo. Por mais que o espaço no Tinder seja pequeno pra isso, a gente logo percebe quem tá querendo fazer tipinho e quem está sendo natural. Converse de boa, seja leve, não fique contando vantagens do que você faz ou já fez. É mais ou menos isso que a gente espera nos primeiros momentos de um match, o resto fica pra depois!

tumblr_inline_mq1ok3icqH1qz4rgp

*Se alguém quiser colaborar com mais dicas, podem enviar! Aqui é tudo numa brinks. E vocês meninas, aguardem – já iniciei minhas pesquisas de campo e em breve posto dicas de como se dar bem no Tinder pra vocês também! Vou deixar o link da fanpage aqui pra vocês acompanharem todos os posts.

Bei-JU

perfil01

O que é urgente pra você?

Vida

tumblr_n5sbry3gYA1qfjqf7o1_500-6 (arrastado)

Leia isso, é urgente. Mentira, não é urgente.

Nada nessa vida que não envolva morte, hospital, seqüestro e limpeza de pele em um estúdio duvidoso pode ser considerado urgente. A palavra urgente virou o novo pretinho básico, tudo é urgente: um trabalho, um email, a ida ao mercado, aquela fo-fo-ca, o sorvetinho da criança. Se a gente não falar que é urgente, ninguém vai dar devida importância.

Mas será que a gente precisa usar essa palavra tanto assim?

Pára pra pensar: a palavra urgente é muito mais relacionada com a ansiedade de quem tá falando, do que com os fatos em si. E quando falamos muito “urgente, urgente, urgente”, a palavra vai perdendo seu verdadeiro valor e … cansa.

“Estamos cozinhando uma saturação geral e a palavra urgente é o fermento. Todas as respostas que buscamos têm que vir sem demora – se não a gente liga pra mocinha e cancela o pedido.” (Mesma, Eu. 2015)

E na terra do Whatsapp acabamos virando ainda mais reféns da palavra urgente pelos nossos celulares – o check azul é a arma apontada na cabeça. Com ele, as pessoas agora esperam que suas respostas cheguem ainda mais rápido, pois você está vendo que a pessoa está vendo que você viu a mensagem. “Eu sei que você sabe que eu sei que você sabe que eu sei que você sabe” (Negra Li já usando Whats em 2006). Se você demora um pouquinho mais pra responder, a pessoa já pergunta se seu problema com ela é pessoal (risos). Você poderia estar no trânsito, no trabalho, no banheiro fazendo cocô. Mas isso tudo é desculpinha.

Pausa pra se acalmar.

Alguém vai morrer exatamente nesse momento? Sim, porque a natureza está funcionando normal hoje, mas não por conta de alguma atividade que você fez ou deixou de fazer (não, né?).

Se tudo virou urgente, então nada pode ser tão urgente assim.

perfil01

Por que ter ódio da geração fitness

Vida

tumblr_ml0sn86cM21s39aw1o1_500_large

Passou o Natal, passou o ano novo e aquela lista de objetivos para 2013, que virou a mesma de 2014, que virou a mesma de 2015 continua ali: “Esse ano vou ser mais saudável. Vou freqüentar a academia. Vou perder peso. E vou pegar o meu nutricionista gato.

Mas logo já vem o Carnaval e a gente lembra da folia e ah… deixa passar o Carnaval. E depois vem a Páscoa e foda-se, foda-se, foda-se (repetir mais 3x). Depois da Páscoa é aquela fase em que vamos finalmente nos ˜aventurar˜ no mundo dos saudáveis (ler isso com voz de locutor de trailer filme da sessão da tarde). A gente começa a limpar a geladeira, ver preço de planos na academia, entrar numa terapia pesada pra conseguir viver sem chocolate e também acompanhar os famosos BLOGS FITNESS.

Sinopse: Fulana pesava 145kg e sofria com os problemas de alguém que tem 145kg. Então ela resolveu mudar de vida por questões de saúde. Não é dieta, veja bem. É reeducação alimentar. Apenas com a mudança de hábitos alimentares e muita dedicação na academia, afinal NO PAIN NO GAIN, ela secou 80kg em um ano. E agora, depois dessa jornada, ela vai compartilhar – olha só! – tudo isso com a gente no seu blog e nas redes sociais.

Resumo da ópera: A pessoa bota lá uma foto toda suada no espelho da academia. Ou um vídeo dela se fudendo muito naquelas cadeiras elétricas, nos aparelhos de musculação.

Os textos e legendas das fotos são um tanto quanto emocionantes. Falam muito sobre força, determinação. Sem dor não há ganhos. Grandes poderes trazem grandes responsabilidades. Ops, acho que tô confundindo com os personagens da Marvel. É que é tudo muito igual, todo mundo parece estar salvando a pátria. Joga um Capitão América com uma atitude meio “rei do camarote” bebendo um shake numa novela do Manuel Carlos e temos um panorama do que é seguir um Blog Fitness. São pessoas que parecem definitivamente pertencer a outro patamar de seres humanos, muito acima de nós – apenas mortais – mas que insistem em dizer que são gente como a gente.

Pausa para as hashtags mais famosas: #força #treino #dedicação #nopainogain #dieta #shapeofday #bodybuilding #fitness #foco #ficagrandeporra #crescemonstro #morrediabo

E a alimentação? Você quase sempre vai ver: frango desfiado, 8 claras de ovo cozido, 70% do prato composto de batata doce, folhas e uns grãos mágicos que só tem pra vender no Beco Diagonal. Os pratos são tão apetitosos quanto os produtos da Leroy Merlin, e você pensa se aquilo realmente vai funcionar na sua vyda.

Mas vamo nessa! Só de seguir esses blogs a gente já sente um frescor no rosto, uma vivacidade, a pele fica melhor. Não tem porquê dizer não pra um mundo tão cheio de descobertas incríveis como por exemplo uma macarronada com massa de abobrinha ou bolo de chocolate com massa de Whey Protein. Aliás, se acostume com o tal Whey, você vai acabar jogando um pouco dele até na sua virilha pra dar uma textura.

Mas aviso: a raiva e a frustração uma hora vão acontecer. Quando você perceber que não tem linhaça em casa. Que o mamão apodreceu e só tem Trakinas. Que você chegou cansada e em 3 minutos aquele miojão já estaria no prato. Que a academia, aquele lugar cheio de pessoas bonitas e felizes é na verdade um débito de 3 dígitos na sua conta mensalmente sendo que você não consegue ficar mais do que 45min naquele lugar por conta de seus outros afazeres e da música muito mas MUITO ruim que toca lá.

Enfim, apesar de toda a brincadeira tragicômica, admiro esses blogs e acho que vale o incentivo sim. O sucesso é gigante, são milhões e milhões de seguidores todos os dias. E um deles sou eu! Mentindo pra mim mesma – achando que seguindo e olhando as fotos terei um pouco de saúde na minha vida – enquanto na verdade estou devorando uma barra de Nestlezão ao leite e é isso aí.

perfil01