ÓLYA ELA: tudo sobre o dia de fotos na Av. Paulista!

08

Se você acompanha as redes sociais do blog deve ter visto essa semana algumas fotos minhas um pouco diferenciadas na Av. Paulista.  Não, não foi um devaneio, um sonho, uma miragem. Esse foi o primeiro ensaio oficial do blog e vou contar um pouco dessa peripércia pra você!

Tudo começou com o fato vergonhoso de eu nunca ter feito um ensaio profissional pro Vamos pra Vênus – coitado. Eu só postava fotos do meu próprio celular (tanto aqui no blog quanto insta e face) porque achava que um ensaio-sucesso seria algo que ia me dar muito trabalho. LOUCA né? A verdade é que eu só ia precisar de:

1- Uma profissional foda (sim – UMA, porque todos os fotógrafOs que eu contatei tinham uns papos esquisitáços – e eu sempre penso em mulheres primeiro pra qualquer tipo de serviço, vamos ajudar as manas!).

– E que não cobrasse o olho de uma cara. Eu sei que o trabalho de fotografia é valioso e merece todos os dinheiros do mundo, mas o de blogayra-antes-da-fama também merece e não ganha. :): Acabei encontrando através da minha irmã, o trabalho incrível (e honesto) da Li – Natally Vivacqua – que tem uma visão única nas hora dos cliques, além da super-paciência pra ouvir minhas ideias malucas! hehe

2- Um conceito que fizesse sentido com a linguagem do blog e do canal do Vamos pra Vênus (Youtube). Ensaio por ensaio todo mundo faz, né? No geral, era importante que as fotos tivessem uma essência completamente urbana e movimentada porque nos meus vídeos eu ando por lugares de São Paulo (por isso a Av. Paulista), que tivessem um tom divertido, nonsense, “loucurinha” – como é a linguagem do blog (e isso ficou muito claro nas fotos que tô tomando um drink no meio da avenida mais movimentada dessa metrópole), e também que tivesse um toque amorzinho porque a gente fala muito de amor por aqui (por isso a cara meiga e o mini-balãozinho de coração).

Pra conseguir essas coisas que fizessem sentido (ou nenhum sentido na verdade) eu passei na Rua 25 de Março mais ou menos uma semana antes do ensaio. A cafonice da 25 também foi uma grande inspiração pra mim. Vi alí um pouco dos elementos divertidos e nonsense que uso na linguagem do blog, um pouco dos conselhos amorosos de tia louca que eu dou aqui pra vocês, e porque a 25 é um lugar clássico de São Paulo, onde você encontra altos achados por pouco preço. Comprei muito glitter, “jóias” divertidas, cílios e unhas postiças, óculos rosa. A taça pink que aparece na maioria das fotos por exemplo, custou – segredinho – exatos R$2,00. Ser cafona é ser livre, né meninas? – Anota isso na sua agenda. 

3- Tesoura sem ponta e a ajuda de um adulto.

Agora chega de blablablá e veja com os seus próprios olhinhos alguns cliques do ensaio. Ficou lindo e exatamente do jeitinho que eu tinha imaginado, a Li arrasou demais! Ao todo foram mais de 180 fotos, mas coloquei só algumas aqui pra esse post não ter problemas de sobre-peso e porque a graça da coisa é mesmo ir liberando as IBAGENS aos poucos – mais um motivo pra você não sair mais desse blog!

Depois me diz se amou tanto quanto eu? <3 

07ensaio_vv010503.jpgIMG_3608IMG_3493ensaio_vv02IMG_3647face.jpgIMG_3627IMG_357104.jpg09.jpg12060210

 

julibatah


Gostou desse post? Se inscreve lá no canal pra dar uma forcinha! :)

 

Anúncios

Sobre o filme “O Quinto Elemento”

tumblr_n8dvblJJE81rr8k17o3_1280.jpg

Sempre vai ter aquele filme que quando você era pequenx morria de medo de assistir. Posso citar vários que me aterrorizavam, desde os mais pesados como Chuck – Boneco Assassino, Donnie Darko, Guerra dos Mundos, até uns mais suaves como O Grinch e O Quinto Elemento.

Lembro até hoje. Era domingo de verão e aqui em casa a gente tinha o hábito de assistir filmes aos domingos – acho que vão perceber ao longo das postagens aqui no blog. Nesse bendito dia, depois de assistir Sandy & Júnior milleniuns juntemos e digamos “beijos anos 2000”, ouiée – meu papis sentou no sofá e começou a procurar um canal que estivesse passando algum filme interessante – e foi dessa forma que assisti O Quinto Elemento pela primeira vez.

Posso dizer que não foi uma das experiências cinematográficas mais legais que tive quando era pequena, até porque foram algumas noites mal dormidas, lembrando daqueles seres estranhos, do figurino exótico e do maldito sangue azul – pô pra uma garotinha que tinha seus 10 anos de idade isso é bem macabro. Mas garanto que mesmo me dando um medo do caramba esse filme foi muito importante para mim, na época eu não sabia, mas atualmente é um dos blockbusters de sci-fi que mais me deixa curiosa. Vou explicar o porquê… Vem comigoo!!

03.jpg

Pra começar e não titubear, o filme tem nada mais nada menos que Luc Besson como diretor e roteirista, Gary Oldman estrelando como o vilão, Mila Jovovich como a nossa heroína (GRL PWR!) e Bruce Willis como mocinho, sim ele ainda tinha cabelos hehe

Tudo se passa num futuro bem distante, em que a Terra é toda tecnológica, os carros são voadores e as ruas não se delimitam pelo asfalto e sim pelos arranha-céus enormes que cobrem tudo o que vemos de paisagem, criando corredores que se espalham verticalmente, em um verdadeiro labirinto. E antes mesmo dessa evolução humana, a Terra foi alertada sobre um perigo que a assola a cada 5 mil anos. Os Mondoshawans, aliens do bem, vem buscar a única arma capaz de derrotar o grande mal. Essa arma é composta por 4 pedras, que representam os quatro elementos, mais um elemento que cria a harmonia da Luz Divina, capaz de derrotar o Mal.

Mais de 300 anos se passam após a aparição dos Mondoshawans no Egito, e a vida de Korben Dallas – um taxista ex-militar, interpretado por Willis – está prestes a mudar. Uma garota de cabelos alaranjados e trajando somente algumas fitas brancas – essa é Jovovich –  cai do céu, literalmente em seu táxi. A aventura é evidente!

01.jpg

Nas cenas que se passam fora do edifício científico, conseguimos ver imensidão de Nova York, totalmente densificada, mecanizada e conquistada. Não se dando de forma horizontal e sim vertical, monumental na sua evolução de cidade e futurística pela movimentação. Os meios de transporte se adaptam a verticalidade e se tornam voadores, principalmente os coletivos que se estruturam nos próprios prédios e são elevadores trem. O lado negativo dessa estratificação também é abordado, no momento em que vemos as antigas ruas no chão se tornarem ruínas de um tempo remoto. A forte fumaça de poluição cobre o que antes eram vias. A superpopulação e o lixo criado por ela, mostram a incapacidade de gestão e reciclagem. O alto nível de criminalidade faz com que as forças de vigilância sejam maiores e mais violentas.

Jean Paul Gaultier foi a personalidade que desenvolveu o figurino do filme, informação que me deixou de queixo caído. Temos ainda o maravilhoso Chris Tucker dando vida a um dos personagens mais hilários que eu já vi, e essencial para dar um toque carismático a obra.

Acho que os efeitos especiais para a época fizeram o filme se tornar popular, além do indefinido e curioso mundo futurístico. Mas cá entre nós, a parte da ópera em que a Diva se apresenta e no turning tables da situação é ela quem está com as pedras dentro de si – e Dallas tem de tirá-las de dentro dela – foi a maldita cena que me causou traumas quando pequena, mas com certeza a que salvou o filme – e hoje é uma das minhas preferidas!

É aquele blockbusterzão para se ver quando se quer um pitada de ação, aventura, sci-fi e muita discussão sobre a forma em que vivemos e podemos um dia vir a viver. O enredo do filme não é dos melhores, já aviso, achei ele bem previsível e as cenas de lutas foram até que bem mórbidas. Além de que a atuação do Bruce Willis não foi nada convincente no seu papel de mocinho – Quando é que ela é, né? – Mas that’s okay… Porque as discussões que o filme propõe são várias, e são muito cabíveis para o período social e tecnológico que estamos vivendo.

02.jpg

O filme consegue destacar a vida numa sociedade distópica, em que as condições de opressão ou privação são reais para os cidadãos, tendo a tecnologia como ferramenta de controle de massa pelo Estado e por corporações. Mostrando ai um caráter satírico da qual nós vivemos – método comum do diretor em questão.

deh



Gostou desse post? Se inscreve lá no canal pra dar uma forcinha! :)

Domingo à noite & “Bad Moms”

tumblr_static_tumblr_static__640

Tanto faz se é Domingão do Faustão ou Fantástico passando na sua telinha. Domingo é domingo. Depois que todos os parentes foram embora e só restou a bagunça para ser limpada, o sentimento de nostalgia bate na sua porta e nem pede licença, já vai destruindo todas as suas esperanças … Aí, é nesse exato fucking momento que você percebe que só restou aquele restinho de final de semana. E se você não o usou apropriadamente, a meu bem, só daqui 5 dias pra sentir aquele gostinho de novo. Tristezinha bate e vida que segue. MÃAAS, maldito final de domingo!

Tudo o que nos resta é assistir um filminho de boas, thanks God por existir netflix. Preparar a pipoquinha e começar aquela busca pelo filme perfeito para terminar a noite. Confesso que a parte mais difícil pra mim é achar o filme, são tantas as opções, tantos os gêneros que ó, é uma tarefa que exige muita paciência…

Vagando pelo feed da minha conta, vejo os que estão em alta, os que se assemelham a Scarface, Stranger Things, Narcos e Transpotting e para minha surpresa os de comédia. Por fim me rendi àquele filme que julgaria nunca assistir por considerar fraco, sem teor de discussão nenhum e por não achar que os atores eram bons. Claro, que todo mundo tem suas preferências e as minhas são um tanto quanto chatas para a maioria. Já peço desculpas, porque a intenção aqui não é ofender nem menosprezar ninguém e nenhum filme. Todo filme é bem vindo e sempre trará uma mensagem positiva ou terá, pelo menos, uma fotografia e uma trilha sonora que compense. É isso que vocês vão ver aqui. Pois bem, fui sem pretensão, com um tico de pré-conceito e um pouco de desânimo, e agora estou aqui escrevendo sobre ele, PAGUEI PELA LÍNGUA. Ihaaa

BAD MOMS ou Perfeita é a Mãe, é esse mesmo, acho que nem você ai acertou. Mila Kunis é Amy uma mãe de dois filhos, multi atarefada. Conduz a vida entre trabalho e família. Até que cansada de se esforçar para ser a pessoa perfeita, ao descobrir certo hobbie virtual do marido, decide que está cansada dessa vida, de sempre se doar para os outros, colocando os filhos e marido como prioridade e esquecendo de quem ela realmente é e do que realmente a faz feliz. Enfrentando assim uma sociedade totalmente machista, representada por Christina Applegate no papel de Gwendolyn, que apavora todas as mães do bairro com a ideia de que MÃE tem que ser perfeita e se virar nos 30 sem ajuda de ninguém, fazer como manda o figurino e não reclamar de nada, muito menos do marido, e fazer o seu papel bem feito para manter a imagem de uma família feliz.

Nessa jornada contra as mães perfeitas Amy encontra duas parceiras um tanto quanto excêntricas Kathryn Hahn e Kristen Bell na pele de Carla e Kiki. Carla é aquela mãe solteirona que gosta de tomar uns bons drinks, conhecer bastante homens e botar sua ginga pra jogo se é que me entendem e não possuí um emprego fixo, o que a faz não ser bem vista como um exemplo de boa mãe. Já em contrapartida, Kiki é um esposa submissa que vive pelos seus 4 filhos, dedicada inteiramente aos cuidados da família e ao marido mandão. O desenrolar é que na luta contra as mães perfeitas, todas se identificam na árdua caminhada para conhecerem a si mesmas e a seus filhos. Como equilibrar essas responsabilidades sendo uma pessoa só e tendo sim sonhos a serem realizados.

Mesmo tendo piadas bem hollywoodianas e a exaltação de estereótipos taí um ótimo filme pela mensagem que ele quer passar. Não só para a relação de mães e filhos. Mas também na forma de como lidamos com nossas próprias vidas. Nos prendendo a preocupações e obrigações que não nos fazem pessoas felizes, e nem nos fazem ser quem realmente somos. Nenhuma pessoa é perfeita, e tá okay não ser. Claro que você pode tentar ser, crescimento pessoal é isso, se superar. Mas por favor, não faça disso uma obrigação só porque tem medo do julgamento de terceiros, não se anule porque isso trará muitas consequências negativas em sua vida.

deh


Gostou? Que tal dar um like lá na fanpage pra dar uma forcinha? (:

Vai ter GLITTER! 3 Makes de Vênus para o fervo

16832170_801799026627473_7329965298792357977_n

Ao que tudo indica, o carnaval tá mais do que chegando minha djente!

E eu, fã de glitter que soy, trouxe esse mês aqui pro blog três opções de maquiagens arrasantes, cheias de glíti & bem rapidinhas de fazer.

Se você ainda não viu, perdeu, viajou, se desligou por um momento, tá tudo bem lindo aqui embaixo de bandeja pra você!

Espero que você curta as makes, se divirta muito nesses próximos dias, e claro, se inscreva lá no meu canal – que tá só esperando esse amor todo vindo da sua parte!

<3

SARDINHAS DE GLITTER | Make de carnaval #01 

 

SEREIA DE VÊNUS | Make de carnaval #02

 

CHAPADA DE GLITTER | Make de Carnaval #03 

 

julibatah


Gostou? Que tal dar um like lá na fanpage pra dar uma forcinha? (: