ACABOU! Os 3 lugares mais xuxus de SP para brindar o fim de 2017!

fimdeano.jpg

É, minha amiga! Esse ano foi aquele ano difícil, zoeiro, uma verdadeira caixinha de surpresas (não tão agradáveis) e muito “eita atrás de eita”. E se você passou por todas as dificuldades, crises, TPMs & outras lamúrias e ainda assim chegou aqui INTEIRA não merece nada menos que um belo drink pra comemorar e fazer a sua última semana aqui em 2017 valer a pena. Separei nesse post 3 lugares diferentes em São Paulo pra você se divertir com suas amigas, crushes, familiares, ou sozinha mesmo. Quem nunca?

#SÓVEM! #vamospravenus

Garagem da Pompéia – Pompéia

Sabe esses lugarzinhos com cara de casa, que a gente mal chega já dá vontade de deitar no sofá? O Garagem da Pompéia é assim! É um bar/hostel em um ambiente bem ˜tru˜ e acolhedor, com quintal, sala, mesa de bilhar e varanda pra tomar uns drinks refrescantes. Ótchemo lugar pra levar a galera pra ficar batendo papo e curtindo 100 hora pra ir embora. Vem passear comigo nesse vídeo!

 

Ramona – Centro

Se apaixone por alguém como eu me apaixonei pelas delícias do Ramona! Sem dúvidas, o Bloody Mary deles (que tem um elemento surpresa na decoração) é o melhor que eu já tomei na minha vida, e a Cheesecake de Amoras, minhas amoras, é mesmo uma explosão de amor(as)! O ambiente também é super gostosinho e dá pra ver o movimento do centro pelas janelonas. Cheers!

 

G&T – Jardins

Pra quem ama gin tônica, apresento-lhes um bar que tem mestrado e doutorado nesse assunto. No G&T eles servem apenas gin tônicas mas de várias formas e combinações diferentes. Apesar de ser pequenininho, o lugar é bem aconchegante e tem um clima gostoso. É um bom lugar pra dar aquela passadinha rápida, fazer um esquenta pré-rolê e voltar mais um milhão de vezes com as migas, crushes, família, bichos de estimação e até sozinha!

 

Ah, e não esquece de se inscrever lá no canal pra acompanhar todos os meus rolês por São Paulo! ♡

 

Juli Batah ♡

Anúncios

Um rolê pelas minhas ilustrações / zines!

22228309_918029885004386_4736376612206101135_n.jpg

OIÊ!

Além de escrever e fazer vídeos pra internet eu também faço desenhos, meu anjo! Vem conhecer um pouco das minhas bonequinhas de Vênus, saber como tudo começou e qual vai ser o meu novo projeto! (:

 


Gostou desse post? Se inscreve lá no canal pra dar uma forcinha! :)

10 marcas alternativas de roupas e acessórios pra ficar de olho no Instagram

blog_post02.jpg

Quem tá sempre acompanhando o blog e o canal sabe a quedinha que eu tenho pelo tema consumo consciente. Se você ainda tá meio por fora desse assunto, comece lendo esse texto aqui.

No vídeo da semana passada, falei um pouco sobre a importância do consumo consciente e mostrei algumas marcas alternativas de roupas e acessórios que encontrei aqui em São Paulo (na loja Fábrica Augusta e num evento que teve na MECA Spot). Tenho em mente que precisamos nos livrar do fast fashion, dessas lojas gigantes de departamento que têm fábricas com péssimas condições e escravizam seus funcionários, e podemos começar buscando novas formas de consumo através de marcas alternativas e artesanais.

Pensando nisso, pedi pra que vocês mandassem lá no inbox do Insta (@vamospravenus) indicações de marcas alternativas que vocês gostam e recebi alguns nomes de lojinhas bacanas que estão crescendo e se destacando nas redes sociais (e fazem vendas online). Separei 10 delas pra vocês fuxicarem mais:

 

1. Ziovara

 

2. LaLaLand

 

3. Cali Store

 

4. Pelican Fly

 

5. Yellow Factory

View this post on Instagram

LET'S DREAM ~ nova coleção ~ www.lojayf.com

A post shared by yellow factory (@yellow.factory) on

 

6. Joulik

 

7. Wear Ever 

 

8. Sou Manacá

 

9. Petite Jolie

 

10. Pink Vanilla

 

-> E você tem ou conhece alguém que tem uma marca alternativa de roupas, acessórios ou artigos de decoração? Manda pra mim aqui nos comentários ou pelo Insta (@vamospravenus) pra gente falar mais dela! (;

 

perfil_new.jpg


Gostou desse post? Se inscreve lá no canal pra dar uma forcinha! :)

Aquele romance que você não pode deixar de ver: “One Night”

capa_deh.jpg

Numa era totalmente digital, onde as notícias chegam mais rápido do que o tempo em que os fatos realmente acontecem, é muito difícil construir uma relação em que a comunicação esteja sempre presente e bem construída. O filme “One Night” me trouxe vários questionamentos em relação ao que é amar, e a diferença entre amar e estar apaixonado. Um vislumbre da idealização do amor adolescente e o que realmente é esse sentimento quando se conhece bem o parceiro, tendo o tempo como maior condicionante, em que o cotidiano tem sua parcela de culpa.

Sobre o filme

Dois casais, o primeiro nos seus 30 anos, lidando com problemas conjugais, Elizabeth e Drew. O outro no auge da adolescência lidando com o final do ensino médio e o recomeço de uma antiga amizade, Andy e Bea. Diferentes idades, praticamente mesmos problemas. Inseguranças, confiança, e um misto de sentimentos com frustações.

Praticamente todos nós podemos nos projetar na pele desses personagens, até porque todos passamos ou passaremos por diferentes fases da vida em que teremos que lidar com questões de relacionamento, não necessariamente um relacionamento amoroso, mas também de amizade ou de trabalho. E é incrível que em todos esses tipos de relação, ficamos à mercê de certos sentimentos que podem causar certas frustações, e lidar com elas é sim um dos maiores desafios.

A forma que a narrativa acontece é bem leve e fluida para aguentar a carga tão real que é abordada, mesmo sendo um filme de drama romântico, a contraposição das cenas dos casais passando por momentos distintos é um jogo bem fugaz e comum nos takes para a filmagem.

As discussões de Liz e Drew sempre remetem ao tempo em que ela perdeu a confiança nele, e como isso mudou todo o casamento. Antes ficar juntos era sinônimo de felicidade, e agora é sinônimo de solidão. São cenas que narram histórias reais, em que casamentos não acabam por falta de amor ou por falta de tentativas, talvez tudo só tenha sido desgastado e perdido o objetivo de se estar junto, como já dito pode ser uma fase, pode ser um recomeço, pode ser um final. Cenas essas que se contrapõe as redescobertas de Andy e Bea na noite de formatura. As conversas intermináveis, em que a falta de assunto não existe, o êxtase de se estar com quem sempre se imaginou, a curiosidade de conhecer mais e mais a pessoa ao seu lado. Duas versões da mesma moeda.

Vale a pena assistir esse filme, e tirar suas próprias conclusões pra contar pra gente aqui depois!

Edit 1: o ator que interpreta o Andy é a cara do Heath Ledger, e se chama Kyle Allen #fikadik

Edit 2: o filme tá disponível na Netflix, então corre!

+ trailer maravilhoso: 

 

Resenha por:

deh


Gostou desse post? Se inscreve lá no canal pra dar uma forcinha! :)