Como comprar um sapato que você nunca vai usar?

Vida

No tutorial de hoje você vai aprender, riqueza!

Faz algum tempo que limitei minha relação com o salto alto a eventos extremamente formais de grande porte, como casamentos, formaturas, batizados & bodas de ouro, simplesmente porque meus pés não suportam todas as minhas curvas em alguns centímetros de apoio no chão – e não vou discutir essa pauta com eles.

Ainda assim, sou aquela pessoa que: a) com 40min de festa procura uma cadeira pra sentar e passa o resto da noite só levantando os braços pra fingir que está curtindo “valeu a pena, ê ê” – sério, 2019 e não sei porquê essa música ainda toca nas festas – ou b) com 40min de festa já tira o sapato e pisa no primeiro copo de vidro estourado no chão, ocasionando aí um pequeno stress pra familia & amigos da formanda.

Consegui criar uma relação confortável com os meus sapatos. Literalmente falando, no caso.

Tive sorte. Sou uma pessoa de pouquíssimos amigos e eles não são tão jovens para se formar na faculdade, nem tão velhos para fazer bodas. A esperança daquele único par de sapatos azuis de salto 10cm no meu guarda-roupa era que rolasse algum casamentinho ou nascimento para finalmente sair do armário mas, olha só, meus amigos também não são do tipo que se casam ou têm filhos e por um momento concluí que nunca mais precisaria usar salto na vida.

Pausa indignada: não entendo como é possível alguém morar em São Paulo e andar de salto!

As ruas de São Paulo são esburacadas (estando ou não em obras), fica tudo escorregadio quando chove – e chove quase todo dia – e existe uma multidão de pessoas correndo pra lá e pra cá nas grandes avenidas, muitas vezes você nem precisa ser maratonista pra chegar aonde quer, a massa de pessoas te leva. Quem nunca chegou em um lugar e pensou: ué, como cheguei aqui? Poisé. Fora o piso em lugares fechados, muitas vezes com frestas e furinhos, você pode ficar facilmente enganchada pra sempre: “Gente, fiquei presa aqui” você diz enquanto as pessoas que estavam com você se distanciam cada vez mais olhando para as telas de seus celulares. Se você mora em São Paulo e usa salto na sua rotina, eu nem tenho o que falar amiga, só te dar os parabéns mesmo sua guerreirona.

Perigo!!!!

Onde mora o perigo: misteriosamente o salário cai bem no dia que a gente passa na frente da Schutz e vê um salto de animal print que super vai combinar com todas as nossas roupas e essa nova pessoa que estamos planejando ser. Aff! Você tenta enganar a si mesma: “esse salto é mais baixo que os outros”, “salto mais grossinho dói menos”, “eu amadureci de um ano pra cá, estou numa outra fase” e (insira aqui a sua desculpa deslavada favorita para comprar um salto que você amou e sabe que nunca vai usar). E aí a gente compra, esquecendo de todos os probleminhas citados acima.

Bom, esse não é um texto que visa ajudar você a nunca mais cair nas garras de um sapato de onça na vitrine da Schutz. É apenas um texto explicativo para que algumas pessoas do meu convívio entendam o porquê eu continuo comprando sapatos de salto sem a menor intenção de usá-los.

-Me segue no insta! @vamospravenus

Juli Batah <3

Anúncios