Desistir pra resistir

31531528_10212291948354972_2350606356668481536_n.jpg

Esses dias andei pensando sobre minhas qualidades. Difícil, né? Pensar sobre as qualidades de pessoas próximas é sempre tão mais fácil.

Lembrei que nunca fui a melhor aluna da classe, nem sou tão #plena quanto aparento ser nas fotos do meu Instagram.

Minha fofura – ou a falta dela – depende um pouco da quinzena do mês, e muitas vezes me falta coragem para fazer coisas que para outras pessoas são muito simples.

Mas uma coisa que me orgulho – além de não ser nem um pouco fresca com comida, sério eu como qualquer coisa e até falo sobre esse dom em entrevistas de emprego – é de ser uma pessoa resistente. É muito difícil me dobrar.

E isso não é sobre ser cabeça-dura, ~capricorniana~, dona da razão, mas sobre saber se reinventar diante de qualquer crise. Consigo passar por fases ruins sem perder meu humor, deixar coisas que eu amo irem embora e descobrir coisas novas para amar, consigo chorar muito e voltar a trabalhar feliz em menos de 15 minutos.

Exploro a cidade em busca de coisas, pessoas, lugares, sensações, comidas, experiências que me façam sentir bem. Eu sei onde me encontrar.

E se o mundo realmente estiver contra mim, eu me dobro, escorrego, reclamo, tropeço. Mas a verdade é que raras vezes me deixo cair por completo – acho que meu inconsciente sabe que se eu me deixar cair vai me dar ainda mais trabalho para levantar e vamos evitar trabalho desnecessário, né? haha

Se eu cair, eu levanto rapidinho. Essa sou eu e minha maior qualidade.

<3 

Anúncios