Aquela linha tênue entre o tudo e o nada

cher-feather-pen-clueless.jpg

O cara da vez era Susângelo – e usei esse nome aqui porque de fato nunca conheci um Susângelo. Ele era amigo de um amigo de um amigo de um amigo meu, e depois de algumas conversas evasivas no chat do face, ele me chamou pra sair e eu resolvi sair com ele. E só pensei em dar essa chance pra gente porque ele pode ser só mais um idiota que fica mandando letras de músicas melancólicas quando não sabe como puxar assunto, mas também pode vir a ser o amor da minha vida. Vai saber?

Nos encontramos e percebi que somos de fato pessoas completamente diferentes. Ele gosta de metal, nunca leu um livro inteiro e constantemente comete o crime de colocar ketchup na pizza. E eu pago a academia mesmo sem ir – o que ela acha um absurdo, tsc-, sou harrypotter-maníaca e sei o que significa a palavra ceviche. Sim, é um relacionamento que tem tudo pra dar errado, mas dizem que opostos se atraem também, então…

Lá pelo quinto encontro conheci a turma de amigos dele, e não me identifiquei com ninguém. Todos eram antisociais e as poucas piadas que faziam tinham forte referência no Zorra Total, mas até aí… eu também tenho que sair um pouco da minha bolha e conviver com pessoas diferentes de mim, não é?

Depois conheci a família dele e percebi que a mãe dele tem um ciúme compulsivo resguardado debaixo da camisa abotoada até em cima e o pai dá comida na boca das sobrinhas, de 20 e 23 anos. Fiquei na dúvida se é realmente uma família estranha, ou se eu é que sou intolerante a famílias com culturas diferentes da minha. De repente a estranha nessa história toda sou eu mesma.

tumblr_nh6471L1W31sqm8oho1_500.gif

Tivemos mais alguns encontros, em um deles rolou uma conversa maravilhosa e super profunda sobre física quântica e seus reflexos na sociedade contemporânea – entre ele e a garçonete, enquanto eu comia meu ceviche sem conseguir entrar no assunto. Pensei que ele estava sendo um escroto ao me ignorar, mas eu também tenho um vasto histórico de chiliques bobos por ciúmes sem sentido, então fiquei na dúvida se a errada alí poderia ser eu.

Fiquei confusa e não consegui esconder as minhas dúvidas sobre nossa relação com superioridade, como manda o Código dos Relacionamentos Modernos. Ele deve ter percebido, e se afastou. Não me ligou, não retornou as ligações, visualizou minhas mensagens e não respondeu.

Ele pode ter desencanado completamente, já estar saindo com outra pessoa – essa pessoa pode ser a garçonete, by the way – e nem lembrar direito como é o meu rosto. Mas também pode só estar fazendo um joguinho sujo já que está sensibilizado e apaixonado por mim sem querer assumir pra si mesmo.

E eu posso interromper esse silêncio, a qualquer momento, correndo atrás dele e tentando provar de todas as formas que fomos feitos um pro outro, o que vai fazer de mim uma garota corajosa que luta sem impasses por aquilo que acredita, ou apenas uma garota chata pra caramba.

Porque existe uma linha muito tênue entre pensar em si mesma e ser egoísta. Entre pensar no lado dele e ser idiota. Entre querer mais e estar sendo exigente demais. A verdade é que a gente pode mais que isso, a gente consegue mais que isso, a gente merece bem bem bem mais. Se existe uma linha tênue entre o tudo e o nada, a gente só tem a nossa própria referência pra se guiar!

 

perfil01


Gostou? Que tal dar um like lá na fanpage pra dar uma forcinha? (:

Anúncios

2 comentários sobre “Aquela linha tênue entre o tudo e o nada

  1. Nossa, acho que a gente acaba se metendo em muitas furadas por curiosidade e falta do que fazer. Já passei por uma situação parecida em que me envolvi emocionalmente com um cara nada a ver e foi exatamente assim, conforme ele percebeu que a gente não tinha nada em comum ele (sábio) se afastou e eu (trouxa) continuei indo atrás. Na real não tinha motivo para eu querer estar com ele, sabendo que a gente não tinha o mesmo senso de humor, as mesmas opiniões, gostos em comum nem nada que nos unisse (nem mesmo a forma de encarar sexo). Vale mais a pena ficar sozinha mesmo.

    Gostei muito desse trecho: “Porque existe uma linha muito tênue entre pensar em si mesma e ser egoísta. Entre pensar no lado dele e ser idiota. Entre querer mais e estar sendo exigente demais.”

    Curtido por 1 pessoa

    1. Meuuu, passei exatamente por essa MESMA situação que você. Ain, é tão difícil, né? Pior é que a gente não aprende e continua entrando nessas furadas! E quando a gente se livra, percebe realmente o quanto aquilo era sem sentido e o quanto o cara é um picolé de xuxu. Sem gosto nenhum, HAHA

      Adoro seus comentários e seus textos! <3

      Curtir

Deixe sua opinião aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s