A parte boa dos relacionamentos descartáveis

tumblr_nl6476TsmK1u9uw7ro1_1280

A era do iPhone te ensinou: defeito é descarte. Cansou de alguém? – Deleta! Se envolver em um relacionamento? Ugh, virou filme de terror. Noites podem ser incríveis mas são apenas noites. Ninguém mais se compromete, ninguém mais se telefona, ninguém mais espera nada de ninguém. Profundidade nas relações? – Esse sabor não vai ter hoje não, moça.

Mas é cráro que somos humanas e temos uma complexidade obscena dentro de nossos corações. Não fomos programadas para ser meramente descartáveis e muito menos para ter relacionamentos assim. Bem, talvez essa seja uma realidade meio difícil de mudar a essas alturas do campeonato. Mas mostrarei que tem sim como enxergar um lado bom nessa descartabilidade (essa palavra exxxssseste?) toda.

-Se a vida te der limões, faça um suco detox.

Captura de tela 2015-05-14 às 03.24.48

Vamos pensar que um relacionamento sério é uma macarronada (se acostume com as metáforas tá, elas vão ajudar a gente), beeeem caprichada. Cheia de temperos, sabores, cores. E vamos pensar que um relacionamento descartável é instantâneo, como um miojo. Rápido, sem mimimi e com aquele tempero vagabundinho que a gente gosta. As vezes dá vontade de comer aquele macarrão mas você tá deitada na cama assistindo Chaves tv e sua única capacidade física e psicológica é de se resolver com aquele pequeno pacote que em 3 minutos poderá salvar a sua vida.

Mas nós mulheres somos muuuuito complexas. Sabemos que não vamos nos contentar só com esse quebra-galho. Queremos muito mais do que isso, né? Queremos o molho de tomate, o queijo ralado, a massa caseira. – “Será que esse miojo vai me satisfazer?” – Mal provamos o seu sabor e já estamos imersas em um oceano de questionamentos. Ache o erro.

A carência por um bom prato de macarrão acaba fazendo com que a gente atropele um pouco as coisas, querendo dar sentido ao que não precisa fazer tanto sentido assim. Como um miojo. Será que somos capazes de apenas nos divertir com leveza e aproveitar o momento? Refletimos demais, queremos demais, esperamos sempre por “algo a mais”. Ficamos tão ansiosas (ó lá, a ansiedade denovo) em consolidar as relações, rotular pessoas/ lugares/ animais/ minhasograé, que nos esquecemos que sem rótulos tudo pode ficar infinitamente mais fácil de lidar. DUH!

Miga, cê tá precisando de uma palmadinha safada na bunda.

tumblr_mlmg15uyEz1s8a280o1_500

Deixe que eles entrem em cena: os relacionamentos descartáveis. Um, dois, três, vários. Se não rolou química com esse cara, neeeeeext! – E depois o anterior denovo, vai quê? Relacionamentos descartáveis gostam de viver sem pressa, expectativas ou obrigações. Esse descomprometimento que vem no pacotinho, deixa todo mundo mais a vontade e as relações ganham chances pra se desenrolar melhor. Pode até virar uma amizade no futuro, comigo aconteceu. Hoje tenho relacionamentos muito mais interessantes do que se tivessem se tornado algo ‘oficial’.

O ideal é nunca ter em mente que a porra pode ficar séria: a ansiedade pra ter um relacionamento consistente pode atrapalhar, tirar a graça das coisas e fazer você correr no sentido inverso ao que queria. Essa busca incessante por relacionamentos não-descartáveis pode resultar em relacionamentos ruins, a partir do momento que te leva a se envolver demais e de maneira afobada com pessoas que você mal conhece.

Assim, o que é considerado “relacionamentos descartáveis” pra você, é algo que pode ganhar um temperinho especial com o passar do tempo. Ao tentar abolir esse tipo de relacionamento da humanidade – ou pelo menos de nossas casas -, fechamos muitas portas da esperança para boas companhias que começam assim, meio nem aí. Não é que não seja maravilhoso se envolver de corpo e alma com alguém, é ótchemo. Mas procurar enlouquecidamente por isso, não é tão necessário quanto você pensa que é. O foco deveria estar mais na diversão e no aproveitar de cada momento – desse jeito coisas sempre fluem melhor.

– Sim, os famosos “namoricos” que sua avó dizia. E ela nem usava iPhone.

perfil01

Anúncios

4 comentários sobre “A parte boa dos relacionamentos descartáveis

  1. Juju, linda, me usa, sou descartável, mas também sou reciclável, uma embalagem slim cheia de design italiano. Hahahaha Gostei do blog! BEIJO

    Curtir

Os comentários estão desativados.